Páginas

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Uma pequena porém de coração HOMENAGEM

Estou aqui hoje para com muita dor no coração e ainda meio sem chão deixar aqui meus mais sinceros sentimentos e dizer que oque precisarem podem nos contatar e dizer que vcs tem aqui mais que amigos ou companheiros de batalha e sim uma família.


Maria Clara foi um anjo que infelizmente nos deixou e assim nos deu uma lição, sendo assim como Pai de uma criança que vive um problema similar digo para que guardemos somente boas lembranças para que assim possamos sempre pensar de forma positiva tudo isso oque aconteceu.


um beijo enooooorme no coração de todos e digo que estaremos sempre em oração pedindo para que Deus conforte e ilumine sua família.




Ass.


Kleon , Aline e Isadora

sábado, 8 de outubro de 2011

Entendendo a doença


Glioblastoma Multiforme de Grau IV é um tipo de tumor primário cerebral formado nas células da Glia, muito maligno, de alta agressividade e letalidade”. Dando esta resposta percebi que na maioria das vezes as pessoas ficavam na mesma, então passei a traduzir.
  • Tumor: é uma massa formada pelo crescimento de células anormais ou pela proliferação descontrolada de células. Eles podem ocorrer em qualquer parte do corpo. Tecnicamente ele pode ser decorrente de uma infecção (um abscesso) ou de inflamação, mas o termo habitualmente significa um crescimento anormal (neoplasia) que pode ser maligno (câncer e outros tumores) ou benigno.
  • Tumor cerebral primário: são aqueles tumores que nascem inicialmente no cérebro, isto é, não são tumores que se originaram da reprodução à distância (metástase) de tumores existentes anteriormente em outros órgãos do corpo.
  • Existem Vários Tipos primários cerebrais: Astrocitomas; ependimomas; glioblastomas multiformes; gliomas; meduloblastomas; meningiomas; neurogliomas; oligodendrogliomas. (não sei se incluí todos).
  • Células da Glia: Embora a maioria das pessoas imagine que no cérebro só existem neurônios, isto não é verdade. Existem outras células, que são chamadas genericamente de células da Glia. Estas são responsáveis pela sustentação física e química do tecido nervoso (os neurônios), além de sua proteção e manutenção. Existem quatro tipos de células da Glia: astrócitos, oligodendrócitos, micróglia e células ependimárias.
  • Glioblastoma: é um tumor que decorre do crescimento anormal das células da Glia.
  • Multiforme: este tipo de tumor não tem uma forma típica, podendo apresentar os mais diversos formatos.
  • Grau IV: Os tumores são classificados em graus ou grades que variam de 1 a 4 (I a IV), quanto maior o grau maior a agressivadade e letalidade do tumor.
  • Maligno: É aquele tumor que pode se disseminar, invadindo e destruindo os tecidos (conjuntos de células) em áreas vizinhas a sua localização inicial. No caso específico de tumores cerebrais não há muito como falar em tumores benignos, pois mesmo que não se dissemina, o simples crescimento provoca danos em uma estrutura que é nobre e essencial à vida. Além disso, pelo fato do crânio ser uma estrutura fechada e rígida, a expansão da massa do tumor pode pressionar e lesar outras partes do cérebro.
  • Alta Agressividade: Isto diz respeito à velocidade com que um tumor cresce. No caso do Glioblastoma Multiforme de Grau IV há registros de crescimento de 100% da massa tumoral em apenas 23 dias. No caso da Isa 28 dias.
  • Alta Letalidade: Grande capacidade de matar suas vítimas
Mais algumas informações sobre os glioblastomas multiformes:
  • É classificado pela organização mundial de saúde como astrocitoma grau IV;
  • É o tumor cerebral mais freqüente no adulto, representando mais ou menos 65% do total;
  • Ocorre com mais freqüência após os 50 anos, com pico na sexta década de vida.
  • É raro em crianças, mas também ocorre.
  • Raramente apresentam metástase fora do cérebro;
  • 96% dos pacientes, mesmo quando tratados, não sobrevivem mais que 2 anos; Isadora já esta a 3 anos Viva e bem.
  • A sobrevida média após o diagnóstico é de 11, 9 meses;
  • Os Sintomas podem incluir: convulsões, cefaléia (dor de cabeça) persistente, sinais de disfunção cerebral, como fraqueza, perda da sensibilidade e uma marcha (a forma de caminhar) instável, lentidão de pensamento, sonolência e coma.
  • Diagnóstico: Todos os tipos de tumores cerebrais são evidenciados em uma tomografia computadorizada (TC) ou em uma ressonância magnética (RM)
  • Tratamento: na maioria dos casos inclui cirurgia, radioterapia e quimioterapia.

    Hoje existem alguns tratamentos alternativos, vou começar a postar esses tratamentos. Desistir jamais, onde há vida a esperança.

    texto extraído de um diario de um tumor cerebral.

Sobre mim

Isadora é uma menina que luta a cada dia para a cura do câncer em sua cabeçinha! Este blog retrata toda sua história e sua luta para um final feliz! Contamos com sua ajuda para este final ser feliz!

Email

Email

Já me visitaram

Vídeo de Isadora

Tecnologia do Blogger.

Twitter Updates